terça-feira, maio 25, 2010

DE BEIJÓS > A MONTE REAL - PORTUGAL > BASE ABERTA 2010

2010.MAI.23 - BA5 - MONTE REAL - PORTUGAL

A Base Aérea N.º 5 - Monte Real, nesta data, abriu as suas portas e, entre as 10;00 e as 18;00, franqueou o seu espaço a todos os visitantes que acolheram de bom grado esta oportunidade.
O dia, com um Sol brilhante e quente, proporcionou uma visita invulgar àqueles espaços da Força Aérea Portuguesa.
Além das fotografias que desejávamos do evento, movia-nos a intenção de voar, para ver dos céus a paisagem que o Mundo nos oferece em São Pedro de Moel, Vieira de Leiria e Pedrogão Grande, naquelas praias do litoral Oeste.
Por isso, passamos parte do tempo em filas, para conseguir obter bilhete para o Baptismo de Voo. Conseguimos o Bilhete 705.

Durante toda a manhã, o avião EADS C-295 M não parou de sobrevoar aquela parte da Costa Portuguesa a mostrar aos alunos das escolas a maravilhosa paisagem que observavam lá do alto. Nestas coisas, quando há muita gente, reduz-se o tempo de voo. Certa de 10 minutos apenas a sobrevoar aquelas praias e o Oceano Atlântico.
O nosso voo, o primeiro da tarde, para adultos, só pode realizar-se depois das exibições das esquadrilhas dos F 16, que maravilharam os visitantes com as suas habilidosas manobras lá nos altos, conforme poderemos concluir pelas imagens que apresentamos no final. Por isso, só conseguimos iniciar a viagem para cima do Atlântico às 17;30. Apesar de o vento baloiçar um pouco com a aeronave e o nosso lugar, nos bancos do centro do avião, que nos impediu de colher as tão desejadas imagens para divulgarmos aqui, pelas vigias pudemos observar as paisagens daquelas praias douradas do Oeste. Mesmo assim valeu a pena para remexer um pouco com os nossos arquivos memoriais.
Tempos que nos deixaram muitas coisas maravilhosas e que guardamos com saudade.
Por isso e para reavivarmos a memória e nos actualizarmos com as mudanças constantes do Mundo, convém que de vez em quando regressemos ao ponto de partida.
Foi também o que nos animou para esta viagem. Recordar os lugares por onde andámos outrora e ver que alterações se operaram no meio ambiente que também foi o nosso, entre 17.JAN.1967 e 28.NOV.1968. Foi uma viagem ao passado que só consta nas nossas memórias, porque foram grandes as alterações que se deram naquele espaço que foi o nosso habitat.
Do aquartelamento para Norte a paisagem poucas alterações sofreu.
Aquele cenário que nos saciava as emoções em cada dia, onde o Sol teimava em pousar a sua luz, entre o amanhecer e o ocaso, onde os aviões em permanente movimento operavam nos seus treinos, e onde, em Maio de 1967, SS O PAPA Paulo VI, no Caravela da Alitália, pousou para que SS estivesse presente nas Celebrações religiosas no Santuário de Fátima, permanece quase igual. Aí sim! Deu para matar as saudades do passado que consumiu a nossa juventude.
A Torre de Controle e o célebre Relógio de Sol, lavrado suadamente naquele calcário arredondado em forma de mesa, mantêm-se inalterados.
Por tudo de bom que observámos, valeu a pena viajar.
Deixamos algumas imagens!
video

2 comentários:

  1. Eu posso sentir a emoção vivida por vc neste ultimo domingo através do texto escrito com a alma!!!Como eu já havia dito vc brinca com as palavras e o resultado dessa brincadeira são textos carregados de emoções!!!!!Parabéns! Sou sua fã incondicional!!!!

    ResponderEliminar
  2. Olá, missantonieta.
    Obrigado pelo seu comentário, que nos alegra bastante.
    O que fazemos nada mais é do que procurar expandir tudo aquilo que nos motiva.
    Quando o sonho comanda a vida, tudo se conjuga ao vermos realizadas as nossas ambições.
    Se o nosso cérebro recebe com agrado a mensagem de tudo aquilo que as suas janelas observam, é óptimo ter capacidade para relatar tudo o que nos vai na alma.
    Alegra-nos a difusão da imagem que em nossa mente se formou, procurando a melhor combinação das palavras para que possamos ser objectivos na descrição dos nossos sentimentos.
    Bem-Haja!

    ResponderEliminar

Os seus comentários enriquecem a nossa prestação. Seja bem vindo. Obrigado pela sua colaboração.